JUSTIÇA RECORRE A CÃES COMO RESPOSTA

Cães de Intervenções Assisitidas atuam todos os dias na busca da felicidade de crianças e jovens em situações judiciais.

Numa experiência pioneira em Portugal, a Associação sem fins lucrativos Pet B Havior e o Tribunal de Família e Menores do mesmo concelho, recorrem à terapia ocupacional com cães na defesa dos interesses dos menores, por exemplo, em processo de divórcio em que há a regulação do poder paternal.

 
O trabalho é realizado por uma equipa multidisciplinar, que desde Maio de 2018, apoiou dez crianças que registavam um bloqueio impossível de resolver com a terapia familiar ou outros métodos conhecidos como "tradicionais".

 "No funcionamento da Justiça, nomeadamente no tempo, verificamos a existência de ganhos", referiu o Dr. Joaquim Silva, Juiz de Família e Menores do Tribunal de Mafra. 

Ao longo das sessões desenvolvidas no último ano, as crianças e os jovens intervencionados por esta terapia demonstraram claras melhorias e evoluções em competências sociais, emocionais e até escolares.

Sempre prontas para dar sem pedir nada em troca, estão as duas cadelas, Frankie e Cuca, que juntamente com os seus guias, trabalham diariamente em conjunto com uma equipa composta por psicologos, docentes e até nutricionistas.

"No treino de cães com este tipo de missão, é essencial a avaliação do caráter e temperamento do animal", explicou Pedro Paiva Diretor e Fundador da Pet B Havior e membro da equipa de consultadoria externa do tribunal,  acrescentando que "os bons resultados surgem do cão ter o dom de não julgar e de não exigir respostas imediatas às crianças e aos jovens".




Alguns dos casos intervencionados por estes terapeutas de quatro patas já estão em situação regularizada e as suas vidas, apesar de terem atravessado momentos contorbados, estão agora de volta à feliz normalidade.

Nos dias 30 e 31 de Outubro de 2019 terá lugar o "II Congresso da Justiça Restaurativa da Família e das Crianças na Promoção e Proteção", em Mafra, onde todo o trabalho desta equipa multidisciplinar será abordado.

PET B HAVIOR | 2019-07-07