CONGRESSO DE JUSTIÇA RESTAURATIVA CONTOU COM A PRESENÇA DE CÃES

O congresso é organizado pela Câmara Municipal de Mafra, pelo Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa Oeste – Juízo de Família e Menores de Mafra, pela Santa Casa da Misericórdia de Mafra e pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Mafra e contou com a participação de uma convidada canina muito especial.


Magistrados, mediadores, advogados, técnicos sociais, membros das CPCJ, docentes, médicos, enfermeiros, psicólogos e estudantes estiveram reunidos em Mafra para debater, em matéria de justiça, um modelo de intervenção efetiva e próxima do sistema familiar da criança, em articulação com as respostas sociais disponíveis: o poder local, a escola e a comunidade.
 

Pedro Emanuel Paiva, da Associação sem fins lucrativos, a Pet B Havior, juntamente com a sua cadela Frankie, apresentou um modelo de intervenção efetiva, com recurso a equipas multidisclinares e cães, para uma abordagem próxima do sistema familiar da criança, como uma resposta disponível ao serviço do Tribunal de Família e Menores e a CPCJ de Mafra.


 
Durante 2 dias, este congresso contou com a participação de reputados oradores que partilharam com a audiência os seus conhecimentos e experiências. Estas intervenções estavam organizadas em painéis: “Justiça restaurativa na promoção e proteção: o que é?”; “O advogado, o procurador e o juiz restaurativo”; “A institucionalização, a família e o tempo da criança”; “O tribunal no modelo contencioso na intervenção no sistema familiar”; “O modelo cartesiano e emocional do cérebro na obra do Prof. Doutor António Damásio: consequências na intervenção judicial e escolar”; “A escola e o modelo educacional como construção integral das crianças e jovens no século XXI”; “Justiça restaurativa, tribunal e CPCJ fora das paredes. Que respostas para a promoção e proteção na comunidade”.



 

SITE MAFRA | 2019-11-03