CADELA DETETA DOENÇA DA TUTORA E SALVA-LHE A VIDA.

Ruby recusa-se a sair do hospital após internamento de Shauna Darcy.


Shauna Darcy, uma jovem australiana, adotou uma cadela de raça pitbull para que esta a ajudasse a lidar com ansiedade, depressão e agorafobia - condição que lhe provoca medo e ansiedade de ficar em situações ou locais onde não consiga fugir rapidamente ou que possa não conseguir obter ajuda imediata - com que sofria diariamente. A australiana nunca pensou, no entanto, que esta cadela de seu nome Ruby lhe fosse afinal salval a vida de uma condição muito mais grave. 

“Quando desmaio ela põe-se em cima de mim e lambe-me as mãos e o rosto até eu acordar”.
 
A jovem reparou que Ruby tinha um comportamento estranho sempre que detetava uma frequência cardíaca fora do normal. Shauna apercebeu-se disso porque Ruby lhe dava a pata, pedia insistentemente a sua atenção e saltava para cima de si. Para se tranquilizar decidiu ir ao médico e descobriu que sofria de uma condição rara: Síndrome de Ehlers-Danlos, do tipo IV. Esta condição é caracterizada por afetar os vasos sanguíneos no corpo, incluindo o coração, e fragilizar órgãos ricos em colagénio como as artérias, veias, intestino, pulmões, pele, fígado e baço.
 
Ruby nunca saiu do lado da dona tendo vindo a desempenhar um importante papel na vida e saúde de Darcy. A cadela ajuda Shauna a monitorizar a sua frequência cardíaca e tensão e acalma-a durante ataques de pânico. Ruby transporta ainda medicação de emergência e ajuda a dona a carregar compras e apanhar objetos do chão. 

Os sintomas desta condição podem incluir tonturas e desmaios. "Quando eu desmaio, ela fica em cima de mim e aplica toda a pressão em mim e lambe minhas mãos e rosto até eu voltar", afirma Darcy.

Shauna não tem dúvidas, se não fosse Ruby não estaria viva atualmente.

CM | 2019-11-13